quarta-feira, 27 de julho de 2005

O Manual Morwen do Relacionamento Amoroso - Parte IV (Das Pessoas Não-Toscas)

Atenção, caro leitor. Hoje iniciamos o curso Upper-Intermediate do Manual Morwen do Relacionamento Amoroso. Na aula de hoje, como foi prometido, aprenderemos como reconhecer uma Pessoa Não-Tosca.

***

UPPER-INTERMEDIATE ONE: Das Pessoas Não-Toscas

Encontrar uma Pessoa Não-Tosca, como eu já disse anteriormente, requer muita sagacidade e, principalmente, paciência. As Pessoas Não-Toscas são raríssimas e estão disfarçadas de pessoas normais, o que dificulta um pouco nossa tarefa. Mas a missão não é impossível... Então vamos ao passo a passo:

1) Converse:
Em geral, a Pessoa Não-Tosca gosta de conversar, pois, em geral, a Pessoa Não-Tosca gosta de pessoas. O passatempo número 1 da Pessoa Não-Tosca é ouvir opiniões diferentes (mesmo que ela não concorde), refletir, trocar idéias e analisar modos diversos de pensar.

2) Converse MAIS:
A Pessoa Não-Tosca dificilmente vai te beijar ou te pedir em casamento se ela não souber quem você é. Converse bastante. Mesmo que vocês raramente concordem, não seja uma mosca morta e, acima de tudo, não finja ser quem você não é (pois ela perceberá). Pessoas Não-Toscas gostam de pessoas autênticas e com opinião. E, se ela realmente for uma Pessoa Não-Tosca, ela vai saber respeitar a sua opinião (logicamente ela vai querer saber o porquê de suas convicções, mas isso não é problema, é?). Fora que conversar pode te fazer perceber que, no fundo, aquela pessoa que parecia Não-Tosca é tosqueira pura.

3) Do quesito "inteligência":
Uma coisa muito inteligente que me disseram uma vez foi que uma pessoa inteligente só consegue se relacionar com pessoas no mínimo igualmente inteligentes. Ninguém tem muito saco de ficar ensinando "o senso de noção" (termo emprestado do meu grande amigo Allan) para o outro. Note que, quando eu digo "inteligente" não estou me referindo aos títulos, número de livros publicados ou notas no boletim (embora isso possa pesar para certas pessoas que não necessariamente são toscas). A inteligência a que me refiro tem a ver com o tal "senso de noção". Uma pessoa inteligente sabe que, às vezes, dormir é mais importante do que ir à aula, por exemplo. A pessoa inteligente sabe o que é importante para si, ela respeita seus próprios limites e busca conhecer seus próprios mecanismos de funcionamento. Uma pessoa mais inteligente ainda, busca conhecer os outros também, reconhece as diferenças e respeita-as. Assim, se você conheceu uma pessoa maravilhosa, atenciosa, que te liga 38 vezes ao dia, mas que ENCHE O SEU SACO porque você não faz o mesmo, chute-a. Esta pessoa não tem "senso de noção" e acha que todo mundo demonstra sentimento igual. Uma pessoa inteligente saberia que demonstrações de afeto não têm regras.

4) Do quesito "experiência":
Praticamente toda Pessoa Não-Tosca foi Tosca ou Semi-Tosca um dia. Não é pelo número de ex-namoradas que se mede a experiência de uma pessoa, mas sim pelo que ela aprendeu com relacionamentos passados (ou relatos de relacionamentos dos outros). Uma Pessoa Não-Tosca nunca nega o seu passado, não tem vergonha de admitir que foi corno ou que já traiu, mas ela poderá contar (até com certo orgulho) o que aprendeu com as porradas que levou e até com as que deu.

5) Todo mundo quer uma Pessoa Não-Tosca:
Mas a fila anda. Se você achou uma, mas não é o seu número, libere-a para a felicidade geral da nação.

OK. Nosso curso está quase no fim. Já falamos de categorias de pessoas, de flerte, de tosqueiras... No próximo número, trataremos de outra questão também importante antes de irmos para o módulo Advanced (que é o namoro em si).

***

*Todo o conteúdo do "Manual Morwen do Relacionamento Amoroso" é baseado em experiências pessoais, conversas, desabafos, crises de choro, etc. e não tem qualquer vínculo com qualquer sociedade científica, literária, política, ecológica ou de qualquer outro tipo. Não pretende tampouco ser qualquer tipo de auto-ajuda (pois está mais para auto-destruição) ou influenciar pessoas. O objetivo único dos textos aqui publicados é suscitar o questionamento acerca do comportamento humano de forma sarcástica e cruel.

3 comentários:

  1. Cheguei aqui através do orkut imaginando que seria mais um blog sobre o SdA dedicado a Morwen, mas ei que me surpreendi. Blog legal e textos ótimos.

    ResponderExcluir