quinta-feira, 31 de março de 2005

Alternativas invisíveis

Tirando a morte, eu acho não existe nada que não possa ser consertado nesta vida.

Não sei por que cargas d'água enfiamos a estaticidade das coisas na cabeça. As coisas não são absolutas. Sempre existem alternativas. O que acaba tornando as coisas absolutas é o medo.

O medo congela.

O medo paralisa.

E o medo não deixa o homem-escritório saber que ele está morrendo de medo.

___________________________

Edit: Blog agora com Sux-O-Meter (medidor de SUX), patrocinado por Dani.

7 comentários:

  1. A pergunta que não cala:

    "Você tem fome de quê?"

    É, nêga. As vezes ficar no mesmo lugar pode ser mais cômodo, mas nada como o prazer tesudo de mudar. Mudar sempre que dá. Mudar sempre que quer.

    De estático basta essa merda de ventilador que quebrou e que solta todo o seu vento, e que eu odeio, na minha direção, visse?

    Não tá bom? Põe um fim. E pronto. Simples assim.

    Aliás, muito bom isso. Tava lembrando do Golden me analisando (e surtando):
    "Dudz, se um dia alguém te entender, é porque o mundo realmente tá mais perto do caos do que se estima" e "Dudz, a vida é bela, é nóis que foda ela".

    Tomô?

    ResponderExcluir
  2. O homem-escritório é sustentado por medo. Quanto mais medo fornecem a um elemento, mais ele se assume as feições do homem-escritório.

    Vendem-lhe um sonho que não era dele, cobra-se dele um caminhar em direção diversa da que ele seguia, e o medo sempre a rondar: se eu não sonhar assim, se eu não caminhar nessa vereda, não mais conseguirei sonhar sozinho, nem caminhar por mim mesmo.

    E é no medo que o homem-escritório sente-se protegido. A vista torna-se turva, e as alternativas tornam-se invisíveis.

    ResponderExcluir
  3. medo e horror
    eh o fim do sonho

    ResponderExcluir
  4. Bom, eu sou uma pessoa chei de medos e inseguranças, e acho que o que mas me atormenta é o medo de não ser feliz, de não conseguir realizar meus sonhos!
    Não quero pensar nisso agora pq sempre fico insegura quando penso que talvez as coisas não saiam como havia planejado!
    Não sou das pessoas mais conformadas que conheço... se as coisas não são do jeito que eu quero, fico deprimida sem ao menos questionar se ter as coisas de outra forma tbm pode ser bom!
    Mas mudando de assunto, gostei muito do post anterior! Dias atrás estava falando sobre isso no escritório e fui taxada pelo meu patrão de esquerdinha! Sou esquerdinha com maior orgulho, gosto de ser contestadora, mas percebi o pejorativo embutido naquele diminutivo!
    Nó vivemos em uma sociedade capitalista e um dos maiores valores modernos é o consumo e a ascensão social! Vc vale o que tem! Se vc não tem nada, tbm não valerá nada! Talvez seja por isso qe o stress e a depressão seja um dos maiores males de hoje em dia! As pessoas se matam de trabalhar para ter e ser algo a mais sem se dar conta de que isso é apenas um privilégio de poucos!
    Mas é muito complicado querer nadar contra a corrente quando nos vemos imersos num mundo completamente pasteurizado e emburrecido!
    Não sei o que é pior, fazer aquilo que desejamos e ter o mínimo ou nos matar de frustração para poder ter uma vida, no mínimo, decente!
    Ano passado eu tentei a primeira opção e foi triste amargar não poder ter dinheiro para comprar meus livros de cds! Esse ano resolvi ter dinheiro e está sendo triste me matar de trabalhar que nem uma corna, em algo que não desejei para mim só para ter um pouquinho a mais!
    To começando a repensar uma terceira via, ganhar dinheiro fazendo aquilo que gosto... Mas vai ser um longo caminho a percorrer até lá!
    Um super beijo!

    ResponderExcluir
  5. Tinha esquecido de botar no meu post acima! hehe

    ResponderExcluir
  6. O mistério gera poder pelo medo. O nosso homem-escritório tem medo de tudo, pois tudo em volta é segredo ou mistério. Quem vai ser transferido pra não sei onde, quem sabe quem vai ser mandado embora, quem vai ganhar aumento, qual projeto vai pra quem... tudo é mistério

    ResponderExcluir